quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Dicas de Livros

(Lido em 2009)

Momo e o Senhor do Tempo é um dos livros mais envolventes que já li. Ele nos faz viajar, usar a imaginação. E nos faz refletir sobre o mundo atual, onde as pessoas acabam esquecendo de que as coisas mais simples são as mais importantes. Enfim, eu gosto de sua história pelo grau de ficção, de fantasia, pela viagem que nos proporciona ao mundo imaginário.




 (Lido em 2011)

Bom, nem sei bem por onde começar, mas posso dizer que "Orson - um cachorro para toda a vida" é uma das histórias mais lindas que li. Pensando bem, toda história que envolve amor entre ser humano e animal, pra mim, é sempre perfeita. Mas posso garantir que esse livro tem algo de especial que vocês só saberão lendo. Eu poderia até comentar sobre o que estou falando, mas não quero estragar o final de quem pretende ler.
De qualquer modo, é mesmo uma história muito emocionante e que, mais uma vez, me fez chorar (conta uma nova). Sem falar de que Orson trata-se de um cachorro da raça dos meus sonhos. Sim, meu sonho é criar cachorros abandonados, mas não é por isso que eu não posso admirar uma raça, né? Aliás, eu admiro inúmeras, mas o Border Collie tem algo de especial que me encanta.

Agora, uma linda citação de Jon Katz, autor desse livro maravilhoso:
"As pessoas que gostam de cães frequentemente se referem a um cão 'inesquecível'. Ouvi a expressão dezenas de vezes antes de chegar a reconhecer sua importância. Cães 'inesquecíveis' são cães que amamos de formas especialmente poderosas, às vezes inexplicáveis."

Só não me pergunte porque "inesquecível" tá entre aspas, porque eu realmente não entendi. Mas que seja, preferi escrever igualzinho tá no livro, apesar de eu não ter colocado o "trema" de frequetemente que no livro tem. Por que mesmo tou falando isso?? Sei lá, mas pelo menos vocês já ficam sabendo que tenho a mania de enrolar um assunto no outro e acabar não falando coisa com coisa.



 (Lido em 2011)

A história se passa na época em que Hitler controlava a Alemanha e os Judeus eram prisioneiros. Não, não é nenhum livro de História, se bem que a gente acaba aprendendo bastante sobre o assunto. O autor do livro é Markus Zusak e eu agradeço à ele por ter dado ao mundo a oportunidade de ler uma história narrada pela Morte.

Vocês podem chamar de loucura, mas "A menina que roubava livros" me fez descobrir que tenho algumas coisas em comum com a Morte:

"Decididamente, eu sei ser animada, sei ser amável. Agradável. Afável. E esses são apenas os As. Só não me peça para ser simpática. Simpatia não tem nada a ver comigo."

"Os seres humanos me assombram."

As citações acima foram feitas pela Morte e, digamos que... eu me identifico com elas.

Então, é isso. Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário