sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Death Note


Eu venho pensando sobre o que escrever sobre Death Note desde os primeiros episódios. A verdade é que tenho tanta coisa pra comentar que tou com dificuldade pra organizar as ideias, por isso vou dividir o post em 4 partes:

OPINIÃO GERAL

Vou começar falando o óbvio: A ideia de um "Death Note" é extremamente original. Pronto, não preciso falar mais nada, afinal, com uma ideia tão boa e tão cheia de nexo como a de um caderno assassino, não é de se estranhar que seja um mangá/anime de tanto sucesso. Tenho certeza de que mesmo quando eu já tiver assistido mil animes (espero chegar a esse número daqui pro fim dos meus dias), Death Note vai continuar entre os melhores.

"L"

Quem assistiu/assiste DN deve saber que não dá pra falar do anime sem fazer, pelo menos, um breve comentário sobre o detetive L (mesmo que seja falando mal); No meu post, cortem essa de "breve comentário". Então, tipo assim, sem mais rodeios, L não é o personagem de anime mais sexy de todos? Diz que sim!

Como alguém pode ser tão, tão estranho e tão perfeito? E o pior é que ele não é sexy apesar de ser estranho, ele é sexy POR SER estranho! [AAAAAAAAA] #murrí

Então... Prosseguindo aqui: se eu fosse falar tudo que quero sobre o L nesse post, isso iria ser um post sobre ele e não sobre Death Note. E é exatamente por isso que o próximo post do blog será exclusivo para my dear L. Mas, deixando o próximo post de lado, não posso deixar de lembrar do triste fim que deram à ele, né? De qualquer forma, iremos para a terceira parte, porque eu não tenho muito o que comentar a respeito.

MELLO E NEAR

O que pensei nas primeiras aparições desses dois: "Que poha é essa? O que fizeram com o anime? Que falta de originalidade fazer duas sósias do MEU L! Quem esse tal de Near pensa que er? Sentando desse jeito, montando esses quebra-cabeças e enrolando essa mecha de cabelo? E esse Mello, comendo esse chocolate idiota?" Realmente, depois da morte de L, perdi a vontade de assistir. Pra mim, não era mais a mesma coisa; Parecia outro anime, com outra história e não tinha mais a empolgação por poder ver o L, mas depois de uns episódios, eu realmente senti como se tivesse passado todo aquele tempo (um cadim de tempo entre a morte de L e a aparição de Near) e agora a sensação de estar com L tivesse voltado com a presença de Near. Tá, e eu adorei quando ele falou: "Tentativa e erro não é como L e eu trabalhamos. Seria indigno de minha parte como sucessor de L, ele não descansaria em paz" e "Sozinhos, nem Mello nem eu conseguiríamos alcançar L". Mas, apesar de não ter mais nada contra o Near, não pude deixar de ficar feliz quando o Light (lê-se Raito) pensou: "Near, você é bem inferior a L. Não é digno de usar essa máscara" e odiar quando o próprio Near falou: "Juntos, conseguimos superar L."

COMENTÁRIOS DESNECESSÁRIOS

1. O Death Note é bem fininho, mas todo dia o Light tira/usa não sei quantas páginas e mesmo assim não acaba;
2. Eu adoro a voz do Near, principalmente falando "Gevanni";
3. Depois que Light procura Kiyomi Takada ela fica se achando a bala que matou John Lennon;
4. Misa é a personagem de anime mais kawai que já vi;
5. A única cena sanguinária que achei tão linda que meus olhos até brilharam foi a do Matsuda "matando" o Light;
6. Quando eu vi Death Note eu fiquei meio revoltada com aquela cena gay entre L e Light. Hoje, eu corrijo esse post e digo "seria o casal perfeito, eles deviam ter ficados juntos no anime original e não só nas fanfics, etc. Já que o L não pode ser meu, eu pagaria pra ver uma cena bem "pesada" entre ele e o Light (sim, isso é uma super pervertida com orgulho falando);
7. Eu adoro a Remu só porque ela fala "Humanos são tão... desprezíveis" e eu concordo plenamente;
8. Eu não sei quem teve um ataque cardíaco quando o L morreu: ele ou eu.


Então, é isso gente! Até o post sobre o L \o/


Nenhum comentário:

Postar um comentário